Release

ALMA FEMININA (ouvir)

Gravado em show no dia 6 de janeiro de 2001 na Choperia do Sesc Pompéia, em São Paulo, o show 'Alma Feminina' esperou dois anos para enfim, virar disco. Mais do que uma homenagem, o CD é um tributo às damas da música brasileira, não especificamente do samba, mas que cantaram suas maiores influências, o samba e o choro que influenciaram não só sua carreira, mas acima de tudo, sua vida. O CD 'Alma Feminina' traz um pouco de cada uma dessas mulheres, que souberam trilhar um caminho verdadeiro na nossa música. Traz um pouco de cada uma, quando Eliane Faria faz uma releitura de parte do repertório de Clara Nunes (Menino Deus), Jovelina Pérola Negra (Banho de felicidade), Elizete Cardoso (Barracão), Beth Carvalho (Folhas secas), Aracy de Almeida (Tenha pena de mim), Dolores Duran (A noite do meu bem), Dóris Monteiro (De conversa em conversa), Cristina Buarque (Quantas lágrimas), Zezé Motta (Senhora Liberdade), Alcione (Gostoso veneno), Elza Soares (Mulata assanhada), Elis Regina (Tiro ao Álvaro), Dona Ivone Lara (Alguém me avisou), Ademilde Fonseca (Dono de ninguém), Dircinha Batista (Se eu morresse amanhã de manhã) e mãe de todas... Clementina de Jesus (Tava drumindo e Embalaeu). Com roteiro da própria Elaine Faria, o disco foi gravado por músicos do primeiro time da música brasileira: Jorge Simas (violão e arranjo), Alexandre Cavallo (baixo), Darcy Maravilha (pandeiros e tamborim), João Cortez (bateria), Kiko Furtado (teclados), Rui Alvin (sopros), Márcio Almeida (cavaquinho), Miro (surdo e tamborim) e Pelé (tantan e congas). Com o trabalho esmerado de Egídio Conde na supervisão técnica e a atenciosa mixagem de Paulinho da Viola, que com seu formão passou em revista o front-sonoro, a eles ainda juntaram-se o cartunista Lan, a designer Suzana Nahas e a fotógrafa Silvana Marques, trio que atuou com a determinação de artilheiro que sabe que marcou um gol de placa.

Pra arrematar o vestido de bolero que se tornou o CD, Ricardo Cravo Albin alinhavou o texto de apresentação: 'Quem puxa aos seus não degenera, diz o ditado. Eliane Faria chega agora ao CD para fazer prova da verdade popular. Afinal, não é à toa que sua árvore genealógica é de sólida madeira de lei. Seu avô é o pau-brasil César Faria, pura nobreza do choro, violão cheio de sabedoria e de sutilezas desde os saraus de Jacob do Bandolim em Jacarepaguá. Seu pai é o jacarandá Paulinho da Viola, irretocável ícone da MPB como cantor, compositor, músico e até personagem, sempre atento aos valores definitivos e infenso às modas passageiras do consumo. Eliane, certamente inspirada nos troncos frondosos de sua ascendência, faz abrir flores em 'Alma Feminina' para algumas das divas da canção, delicados frutos que a emocionam desde a infância, em casa do avô e do pai. Essas flores sonoras da herdeira de paus-brasil e de jacarandás vão em cachos perfumados para essas cantoras brancas e negras do meu Brasil, sambistas ou não. Tenho a certeza de que este CD, botão em flor inicial, fará com que Eliane abra muitas outras flores futuras. Até porque a força de suas raízes de família, aliada aos améns e axés de suas homenageadas neste 'Alma Feminina', irá lhe fertilizar e lhe adubar a vida e a arte'.

Quando se tem o tempo como aliado e um trabalho permeado com grandes compositores como Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro, Wilson Moreira e Nei Lopes, Haroldo Barbosa e Lúcio Alves, Babau da Mangueira e Cyro de Souza, Antonio Maria, Dona Ivone Lara, Adalto Magalha, Albaléria, Nélson Cavaquinho e Guilherme de Brito, Dolores Duran, Milton Amaral, Herivelto Martins e Marino Pinto, Maestro Carioca, Ataulfo Alves, Adoniran Barbosa e Oswaldo Moles, Luís Antônio e Oldemar Magalhães, e suas composições atemporais, não há de se ter medo de esperar esses anos para lançar um disco e colher as flores que plantou com acuidade e desvelo nos seus nove anos de carreira.


O SELO - ICCA – ISTITUTO CRAVO ALBIN
PRODUÇÃO ARTÍSTICA: ELIANE FARIA
PRODUÇÃO EXECUTICA - ELIANE FARIA E EUCLIDES AMARAL

MÚSICAS

01. ALGUÉM ME AVISOU – YVONE LARA
02. BANHO DE FELICIDADE – ADALTO MAGALHA / WILSON MOREIRA
03. TAVA DRUMINDO – DOMÍNIO PÚBLICO
04. EMBALA EU – ALBALÉRIA
05. MENINO DEUS – MAURO DUARTE / PAULO CÉSAR PINHEIRO
06. QUANTAS LÁGRIMAS – MANACÉA
07. FOLHAS SECAS – NELSON CAVAQUINHO / GUILHERME DE BRITO
08. SENHORA LIBERDADE – WILSON MOREIRA E/ NEI LOPES
09. SE EU MORRESSE AMANHÃ DE MANHÃ – ANTÔNIO MARIA
10. TENHA PENA DE MIM (AI, AI MEU DEUS)– BABAU DA MANGUEIRA / CYRO DE SOUZA
11. A NOITE DO MEU BEM – DOLORES DURAN
12. DE CONVERSA EM CONVERSA – HAROLDO BARBOSA / LÚCIO ALVES
13. SEGREDO – HERIVELTO MARTINS / MARINO PINTO
14. QUEM É VOCÊ – MILTON AMARAL
15. DONO DE NINGUÉM – MAESTRO CARIOCA
16. MULATA ASSANHADA – ATAUFO ALVES
17. TIRO AO ÁLVARO – OSVALDO MOLES / ADONIRAN BARBOSA
18. GOSTOSO VENENO – WILSON MOREIRA / NEI LOPES
19. BARRACÃO – LUIS ANTÔNIO /OLDEMAR MAGALHÃES